14/07/2011


Fala, pessoal!

Hoje vamos falar um pouco sobre meio-ambiente e enxovais de qualidade. Aparentemente são dois assuntos totalmente distintos, não é mesmo? Pois vamos relacioná-los agora.

No Brasil são produzidas 240 mil toneladas de lixo por dia. De todo esse lixo, apenas 2% é reciclado, o restante vai para aterros sanitários e a fermentação no solo gera dois produtos: o chorume e o gás metano.  Em países desenvolvidos, o percentual de lixo reciclável atinge cerca de 40%.

Reciclar é mais caro do que simplesmente jogar o lixo em aterros, mas são necessárias a conscientização e a mudança de hábitos da população para garantir a preservação do meio-ambiente.

Você sabia que parte do lixo que produzimos não desaparece? Alguns levam anos para se decompor na natureza. É por isso que devem ser reciclados. O destino correto do lixo reciclável ajuda a diminuir a poluição e a produção de mais lixo. Afinal, em cada mil quilos de lixo produzido, são encontrados, em média, 300 quilos de material reciclável.

E as garrafas PET?
As garrafas Politereftalato de etileno (ou a famosa "PET") são produzidas para durarem até 800 anos em nosso ambiente. Isso mesmo, 800 ANOS!  Será que não poderíamos utilizar essas garrafas com vida útil tão longa e transformá-las em outras coisas? É claro que sim! Primeiro, vamos analisar as vantagens da reciclagem desse material:
  • Redução do volume de lixo nos aterros sanitários e melhoria nos processos de decomposição de matérias orgânicas nos mesmos. O PET acaba por prejudicar a decomposição pois impermeabiliza certas camadas de lixo, não deixando circularem gases e líquidos.
  • Economia de petróleo pois o plástico é um derivado.
  • Economia de energia na produção de novo plástico.
  • Geração de renda e empregos.
  • Redução dos preços para produtos que têm como base materiais reciclados.
  • No caso do PET de 2 litros, a relação entre o peso da garrafa (cerca de 54g) e o conteúdo é uma das mais favoráveis entre os descartáveis. Por esse motivo torna-se rentável sua reciclagem.
  • O material não pode ser transformado em adubo. Plástico e derivados não podem ser usados como adubo, pois não há bactéria na natureza capaz de degradar rapidamente o plástico.
  • É altamente combustível, com valor de cerca de 20 Megajoules/quilo , e libera gases residuais como monóxido e dióxido de carbono,acetaldeído, benzoato de vinila e ácido benzóico. Esses gases podem ser usados na indústria química.
  • É muito difícil a sua degradação em aterros sanitários.
E qual a relação da reutilização das garrafas PET com a fabricação de enxovais?
A Altemburg lançou há pouco tempo a linha Malha Eco. A Malha Eco é a primeira malha PET no segmento cama do país, com uma trama de mistura íntima entre os fios de algodao e garrafas PET, criando um material de beleza e toque todo especial.
A linha Malha Eco da Altenburg é toda composta por produtos sustentáveis. Sao tres modelos de estampas, todos produzidos com fibras de garrafas PET em um processo ecologicamente correto, com reduçao de gasto energético, menor impacto de tinturaria e reduçao de desperdício e de consumo de água.
E claro, os edredons são muito bonitos! Confiram alguns dos modelos disponíveis:

0 comentários