09/12/2014

 
 No final do século XIX um dos nomes mais comuns das meninas na Rússia era "Matriona" e na tentativa de adaptar estas bonecas à cultura e costumes da Rússia, se lhes atribuiu o nome de "Matrioshka". As Matrioshkas simbolizam a maternidade e a fertilidade.

O fato das bonecas mais pequenas saírem do interior das maiores simboliza o ato de uma mãe dar à luz uma filha, e a filha dar à luz outra filha, e assim sucessivamente. Além disso também sugerem riqueza e vida eterna e sempre transmitiram uma mensagem simples e duradoura de amor e amizade.

toalha-karsten-4a
matrioskaKbDj5
A primeira vez que ouvimos falar do cupcake foi em 1796, quando uma anotação de receita de "um bolo para ser assado em pequenas xícaras" foi escrito em "Culinária Americana" por Amelia Simms. Em 1996, foi aberta a primeira loja de cupcake em Nova York que ajudou na ascensão do cupcake. Marcado em cenas de filmes hollywoodianos, como "O Diabo Veste Prada"; "Mulheres Perfeitas" e "Sex and the City", o cupcake se tornou fonte de renda para culinaristas e fãs de gastronomia em torno do mundo todo!

O cupcake virou febre e está ganhando espaço nas festas infantis, chás de bebê e casamentos. Em muitos casos chegam a substituir os tradicionais bem-casados.7 Ainda existe uma confusão entre o cupcake e o muffin. A diferença está na massa, pois a textura da massa do cupcake é mais leve, similar à de um bolo macio
toalha-karsten-3

- Desde o século XVI, o macaron era conhecido como o "Doce da Rainha" e sua receita era segredo mas, um dia as freiras carmelitas de Nancy a descobriram a receita e começaram a reproduzi-las e ficaram conhecidas como "Irmãs Macarons". Até hoje, na cidade de Nancy existem os macarons como eram produzidos naquela época.
No início do século XX, Pierre Desfontaines teve a idéia de juntar os "coquies" ("bolachinhas") a um recheio delicioso e nos anos 80, Pierre Hermè criou os macarons. Crocante por fora, macio por dentro....e uma mistura de sabores sutis, fazem desse doce uma iguaria francesa.

macarons-1toalha-karsten-2

0 comentários